Falange Azul do Londrina

 

O Grêmio Recreativo Torcida Organizada Escola de Samba Falange Azul foi fundada em 05 de Fevereiro de 1992. Foi fundada pelos então amigos Marcelo Aparecido Fuentes, Ronaldo Cezar, Rogério Batista e Ivoncley Sepe. Quis o destino, presentear a nova torcida, fazendo do Londrina Esporte Clube campeão Paranaense de 1992, além de disputar várias finais de campeonatos nos anos seguintes. E assim foram os primeiros anos da nova torcida, que mais tarde, seria reconhecida como a maior do interior do sul do Brasil.
Com o passar dos anos, o Londrina Esporte Clube entra numa época ruim, fruto das más administrações do comando do LEC, desvio de dinheiro para outros fins, venda de patrimônio do clube, penhoras, brigas na justiça, resultando em péssimas apresentações dentro de campo, o que ocasionou um grande desinteresse por parte de inúmeros torcedores. Neste momento a torcida vivia dias difíceis, pois contava apenas com pouquíssimos integrantes.
Em 1997, na administração do ex-presidente do LEC e hoje traidor Marcelo Caldarelli, foi proposto uma união entre as trêsfoto05 torcidas organizadas do Londrina, a Falange Azul, Sangue Azul e Mancha Azul. Era melhor e mais vantajoso ter apenas uma torcida forte, do que três em péssimas condições e dificuldades era o que pensava as diretorias da Falange e Mancha. Após uma reunião entre as três diretorias das torcidas do LEC, foi firmada a união entre Falange Azul e Mancha Azul, ficando de fora a Sangue Azul, por não aceitar as idéias propostas pelas demais diretorias.
O nome e a logomarca da Falange Azul foram mantidos com a união. Pois era uma torcida mais antiga e com bons contatos. Além do que, já existia no país uma outra torcida chamada Mancha Azul, sem contar os inúmeros derivados de Mancha. A nova diretoria foi formada com integrantes de ambas as diretorias, sendo aclamado como presidente o Fernando Cesar Pereira e vice-presidente o Marcelo A. Fuentes.
Mesmo com os altos e baixos do LEC, a atual e renovada diretoria passou a trabalhar forte e se empenhar ao máximo em benefício da torcida, desenvolvendo assim uma mentalidade cada vez maior a respeito de torcida organizada. Fazia-se necessário ter uma sede própria, onde pudesse reunir os associados, cuidar das questões administrativas e guardar os materiais da torcida. E foi num acordo com a então diretoria do LEC que este sonho nasceu. Foram cedidas duas salas que ficam em baixo da arquibancada descoberta do VGD para ser a nova a sede da Falange Azul.
Neste período, a torcida foi conquistando inúmeros novos adeptos, confeccionando e adquirindo novos materiais para estádio, materiais para os sócios e organizando eventos. Foi adotadas todas as quartas-feiras (atualmente as quintas-feiras), como um dia para reunir os associados para uma confraternização, onde a integração, lazer e muita diversão é a ordem. Sem sombra de dúvidas, foi principalmente dessas confraternizações, que a torcida foi cada vez mais fortalecendo sua base e estrutura.
A atuação nas arquibancadas sempre foi indiscutível. Sempre presente, seja em casa ou fora, mesmo que várias vezes em pequeno número, porém gigante no apoio ao Tubarão. E isso ficou muito mais evidente em 1998, na tristeza do rebaixamento para a segunda divisão do paranaense e na alegria e frustração de ter realizado uma boa campanha pela série B do brasileiro, ficando a uma mísera vitória de chegar à elite do futebol nacional. E em 1999, quando o LEC voltou para a elite do futebol paranaense, contou com total apoio da Falange Azul, na qual se fez presente em todos os jogos dentro e fora de casa.
Ainda em 1999, foi lançado o primeiro website da Torcida Falange Azul, sendo uma das pioneiras neste sentido. Era a Falange Azul na grande rede conquistando o mundo.
Já no século XX, a Falange Azul já podia ser considerada uma das torcidas mais atuantes e a maior do interior do sul do Brasil. Os materiais confeccionados pela torcida é superior quando comparada a de outras grandes torcidas do país, pois a qualidade sempre foi o grande ideal da torcida, que também tem uma grande finalidade de integração social, é uma família acima de tudo.
Em 2000 foi realizada a primeira festa de aniversário da torcida (8 anos), dois anos mais tarde, em 2002 outra muito maior foi organizada, a festa de 10 anos. Em ambos os eventos a torcida recebeu a presença de várias outras torcidas do país. Mostrando o respeito e amizade conquistada em todos estes anos. Neste período foi projetado um novo bandeirão para o VGD, com 40 metros de comprimento e 20 metros de largura. Também foi confeccionado um novo agasalho, com aproximadamente 80 mil pontos de bordado.
Em 2003, a torcida vinha sofrendo com problemas de ordem administrativos e financeiros. Mas mesmo com isso as idéias iam saindo do papel e os sonhos sendo realizados. Um deles foi a construção de uma sede maior. O terreno foi também cedido pela diretoria do LEC, localizado anexo ao VGD e completamente abandonado. Com recursos e mão de obra própria a futura nova sede foi sendo erguida. Aproximadamente 400 metros quadrados é o tamanho da atual sede, que tem 4 salas, bar, banheiros, cozinha, loja e uma área para eventos.
2004, um ano a ser esquecido.
Começo de 2005, para quem achava que a torcida estava decadente, devido aos problemas relacionados com o Londrina Esporte Clube, se enganou. Em partes o rebaixamento já estava superado e a torcida, dessa vez muito unida com a nova diretoria do LEC, em especial com nosso eterno presidente Agostinho Miguel Garrote, mais uma vez mostra porque é a maior do interior do sul do Brasil, se já não for a maior do interior do Brasil. A começar pela união de todos os sócios em prol da torcida. foto07 Novos padrões de materiais são lançados. Tanto para de uso dos sócios, como de arquibancadas. No campo o LEC começa a se preparar para os campeonatos e aonde ia, lá estava a Falange Azul, que mais uma vez se fez presente em TODOS os jogos do Londrina, tanto oficiais, como amistosos. No Paranaense, ajudou o LEC a chegar mais uma vez nas semifinais, sendo o líder de torcedores pagantes geral. As festas nas arquibancadas e apoio irrestrito ao Londrina gerou elogios de outras torcidas, imprensa e de tantos outros torcedores não ligados à torcida organizada. O mesmo aconteceu durante a série C. Novamente a Falange Azul esteve presente em todos os jogos.
No fim de 2005 iniciou os trabalhos para o que foi chamado de pré-festa de 15 anos, era a festa de 14 anos da torcida. Já em 2006 a torcida mais uma vez mostra sua força durante o Paranaense. Mais uma vez presente em todos os jogos e mesmo contrariada pelo Londrina mandar seus jogos no estádio neutro (Café), lá estava a Falange Azul dando show na arquibancada.
Com a eliminação precoce no Paranaense, o que custou a vaga para a série C, a festa de 14 anos por pouco foi cancelada. No entanto, os diretores mais uma vez, mesmo com todos os problemas, mostram que com união, força e determinação é possível realizar os objetivos. A festa foi simplesmente espetacular. Dos 250 ingressos que foram colocados a venda, 200 foram vendidos, além dos mais de 60 convidados. Foi consumido durante a festa, 60 caixas de cerveja, 180 kg de carne, 200 litros de refrigerante e água. A festa também contou com a apresentação de 5 bandas e 1 DJ.

Questionário

O QUE TA FALTANDO PRA FALANGE CRESCE CADA VEZ MAIS?

Tópico: Falange Azul do Londrina

Data
De
Assunto

Ei coxa vai toma no cú

Quero que a falange azul xingue mais

Data
De
Assunto

tev + falange azul

e noiz , uniao sinistra!

novo site da tev : http://esquadraovilanovense.no.comunidades.net/

Procurar no site

© 2010 Todos os direitos reservados Fernando e sua Equipe.